sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Ribeirão terá Centro de Iniciação ao Esporte


Preparar a estrutura para os profissionais do esporte é fundamental para incentivar os atletas. Preparar também a base, incentivando crianças e adolescentes a entrar no mundo esportivo, é imprescindível. Investir em projetos e obras relacionados à prática do esporte. Ações que, juntas, dão oportunidades para crianças e adolescentes. Mudam vidas. E Ribeirão Preto tem uma grande conquista a comemorar nesse setor.

Ontem, em Brasília, Ribeirão Preto foi contemplada com um Centro de Iniciação ao Esporte (CIE)! Ele será instalado no bairro Alexandre Balbo e terá mais de 2.700 metros quadrados de área construída.  

O programa faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) e tem como objetivo ampliar a infraestrutura de equipamentos de esporte qualificados em todo o Brasil. Nossa cidade se candidatou a receber esse projeto e foi beneficiada!

No CIE do Alexandre Balbo haverá atividades e práticas de esportes voltados ao alto rendimento, estimulando a formação de atletas entre crianças e adolescentes. Teremos um ginásio poliesportivo com arquibancada para 195 pessoas, sala de professores, vestiários, enfermaria, academia, sanitário, copa e quadra externa descoberta.

Atualmente, mais de 10 mil jovens são atendidos pelos programas esportivos de Ribeirão Preto. A conquista do CIE vai ampliar as oportunidades em nossa cidade. O esporte é um grande caminho para o amadurecimento e para uma vida saudável em crianças em jovens. Também melhora a disciplina e a coordenação motora.

Agradeço o Governo Federal por mais essa parceria com Ribeirão Preto pelos jovens de nossa cidade. Agradeço pelo início de mais um grande trabalho por aqui. Com certeza, mais uma grande conquista que mudará a vida de muitas crianças e adolescentes. 



Dárcy Vera
(artigo publicado na edição de 11 de Dezembro de 2013, no Jornal Tribuna)

PRORROGAÇÃO DA RESOLUÇÃO 414/2010 DA ANEEL

Ontem, as prefeituras brasileiras conquistaram uma grande vitória: a prorrogação da Resolução 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) - medida que transfere aos municípios o gasto com a iluminação pública. Agora, em vez de a Resolução entrar em vigor em janeiro do ano que vem, entra no primeiro dia de janeiro de 2015. Ou seja, há um ano a mais para que as administrações municipais se preparem e para que possam, também, debater efetivamente a medida junto da ANEEL. As prefeituras conquistaram uma grande vitória com essa PRORROGAÇÃO, pois o gasto que assumirão com a transferência dos ATIVOS DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA irá comprometer o orçamento de várias cidades e comprometerá, também, investimentos à população. Parabenizo aqui a Frente Nacional de Prefeitos e a Confederação Nacional de Municípios, que muito batalharam nessa causa.


Aqui, MATÉRIA sobre a prorrogação:

GESTÃO EFICIENTE DA MERENDA ESCOLAR – RIBEIRÃO É CAMPEÃ!


Uma grande vitória: Ribeirão Preto, nesta semana, conquistou o Prêmio Gestão Eficiente da Merenda Escolar! Um trabalho de muita dedicação da equipe da Divisão de Alimentação Escolar da Prefeitura. Um reconhecimento merecido, fruto de muito empenho dos profissionais. 

A preocupação com a alimentação das crianças é fundamental. Bem alimentados, os meninos e meninas conseguem aprender mais e aproveitam as aulas. Bem alimentada, a garotada passa o dia todo com saúde e fica mais resistente às doenças. As mães, com razão, se preocupam com a alimentação dos filhos nas escolas. Sou mãe e sei bem como é. Por isso, faço questão de um trabalho muito bem feito nessa área. 

Portanto, parabenizo aqui, em nome do Chefe da Divisão de Alimentação Escolar, Aliomar Martins, toda a equipe envolvida no trabalho – desde o pessoal que separa e encaminha os alimentos, passando pelas merendeiras, que preparam as refeições com muito cuidado, e todos os profissionais da cozinha.

Parabéns pela conquista e, principalmente, pelo grande trabalho realizado!

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Uma loucura em Brasília!

Na última terça-feira em Brasília, foi uma verdadeira loucura.

Depois de passar na Secretaria do Tesouro Nacional para protocolar documentos da Prefeitura, passei a tarde toda no congresso visitando deputados e protocolando pedidos de emendas. Foram mais de 80 pedidos de verbas para obras de Infraestrutura, Saúde, Esporte, Cultura, equipamentos para lazer e obras. Nos corredores do Congresso, a cada passo, encontrava um prefeito (a) com uma pasta de pedidos para seus municípios. Uma verdadeira loucura. À noite, fui no evento das "Boas práticas para o Brasil". Participaram 145 projetos e nossa cidade ficou entre os 35 melhores com dois projetos: "Moradia de interesse social" e o projeto "Tocando a vida", feito pela Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, em parceria com a Prefeitura, que deu a oportunidade a mais de 600 alunos a aprenderem a tocar instrumentos e conhecer a música erudita. Saí correndo a caminho do aeroporto e para não perder o voo, tive que andar alguns quarteirões atrás de táxi. Cheguei sem fôlego no avião e confesso que o cansaço invadiu meu corpo físico. Cheguei em Ribeirão sem força física e sem energia. Mas valeu a pena. O dia foi produtivo e espero que as emendas deem certo. Ribeirão merece!

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Plantão no feriado de FINADOS

Neste feriado de FINADOS, os serviços essenciais de Ribeirão Preto funcionam em regime de plantão. 

Abaixo, matéria do Jornal A CIDADE trata do tema.




quarta-feira, 30 de outubro de 2013

O Aquífero Guarani é de responsabilidade de quem?

Para perfurar um poço, é preciso autorização do DAEE (Departamento de Água e Energia Elétrica), que é um órgão do Estado de São Paulo. De acordo com o próprio DAEE, Ribeirão Preto tem 530 POÇOS perfurados autorizados. Desses, 421 são poços particulares (condomínios, chácaras, clubes, etc....) e 109 do DAERP, para atender a população de Ribeirão Preto.

Antes do ano de 2006, o DAEE autorizava a perfuração de poços artesianos particulares. Depois de 2006 foi feita uma legislação específica para nossa cidade e a perfuração só era permitida se a distância de um poço para o outro fosse de mil metros.

Além disso, também existem vários poços artesianos CLANDESTINOS, ou seja, poços perfurados sem autorização. Acredita-se que esses são MAIS DE 300 POÇOS. O DAEE tem apenas 25 fiscais para atender 95 municípios.

Hoje, me reuni com o DAEE, CETESB, SODERMA, Secretaria de Meio Ambiente e DAERP para tratar da questão de falta de água em alguns bairros, principalmente aos finais de semana.

Muito se fala sobre o rebaixamento do nível do Aquífero Guarani. Mas não vejo ninguém dizer que o número de poços artesianos particulares é quase 3 vezes maior que o número de poços artesianos públicos. Também não se fala sobre o número absurdo de poços clandestinos.

Na reunião desta manhã, pedi um mapeamento de onde o DAEE licenciou ou regularizou a perfuração dos 421 poços artesianos particulares e se esses poços foram perfurados perto dos poços do DAERP. Afinal, são mais de 530 poços artesianos autorizados pelo DAEE, sendo apenas 109 do DAERP.

Culpar o DAERP pelo rebaixamento do Aquífero Guarani é ignorar os demais poços licenciados na cidade. São 530 poços no total. E ainda dizem que são mais de 300 poços clandestinos que retiram água do aquífero. Por isso, segundo o DAEE, não é possível falar exatamente quantos poços clandestinos há em nossa cidade. Mas, se a estimativa estiver correta, a soma total é de 830 POÇOS EM RIBEIRÃO PRETO, sendo apenas 109 do DAERP.

Os poços artesianos particulares e clandestinos também retiram água do Guarani. Portanto também respondem por esse rebaixamento do nível de água de nosso solo.

O DAEE dá a outorga (permissão) para perfuração desses poços e cobra sobre uma estimativa de consumo de água.

O AQUÍFERO GUARANI É DE RESPONSABILIDADE DE TODOS NÓS. Precisamos de ação conjunta para fechar os poços clandestinos e de um levantamento de onde foi autorizada a perfuração de poços particulares. Também temos que verificar se esses poços estão interferindo na captação de água para atendimento à população. Estado e município precisam se unir e buscar uma solução.

Se antes de 2006 era autorizada a perfuração de poços sem uma lei específica para manter distância entre eles, pode ser que tenhamos muitos poços próximos um do outro e isso prejudica a captação de água para atendimento dos moradores.

Tudo isso precisa de uma solução. Por isso, uma próxima reunião para levantamento de todos os poços e a distância entre eles foi marcada para a próxima segunda-feira.

Participaram do encontro de hoje Marco Artuzo da Cetesb, Paulo Finotti da Soderma, Carlos Alecanstre, do DAEE, Dr. Marco Antonio dos Santos e Ivo Colichio do DAERP, o secretário do Meio Ambiente, Daniel Gobbi, e os vereadores Genivaldo Gomes e Maurílio Romano.

A Internacionalização do Leite Lopes


Internacionalizar o Aeroporto Leite Lopes sempre foi uma de minhas batalhas à frente da Prefeitura de Ribeirão Preto. Ampliar galpões, número de voos, pista e aumentar a capacidade de carga e descarga. Tudo isso para dar mais estrutura aos passageiros e às empresas. Nosso aeroporto terá mais capacidade para atender todos. São passos importantes e fundamentais. E eu tenho trabalhado incansavelmente para que o Leite Lopes se desenvolva.

Nos últimos dias, recebi empresários e representantes de indústrias de Ribeirão Preto que se mostram preocupados com o andamento das obras no aeroporto. Confesso que também estou. Algumas matérias que tenho lido sobre o assunto despertam esse sentimento.

Por exemplo, o Gaema (Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente), do Ministério Público, e a Associação de Moradores do Jardim Aeroporto querem um EIA-Rima (Estudo de Impacto Ambiental - Relatório de Impacto Ambiental) para que as obras tenham andamento.

A realização de mais um longo estudo atrasaria as obras e, consequentemente, atrasaria toda a chegada de um investimento que será aplicado na ampliação do Leite Lopes. Há um cronograma a ser cumprido. Os empresários, os passageiros e a população contam com o cumprimento das datas e com a agilidade nas obras.

Representantes do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) contam com essas obras e com o cronograma. Eles estiveram na Prefeitura e se mostraram preocupados com o prazo. Também recebi, na última semana, o Sindicato dos Metalúrgicos, que fez um estudo detalhado sobre o perfil das empresas que já se instalaram em Ribeirão e qual o perfil das empresas que podem se instalar. Aí, apresentaram mais um dado importante com relação ao Leite Lopes.

Segundo o estudo do Sindicato, a internacionalização do aeroporto é fundamental para manter as indústrias que já estão em Ribeirão Preto e na região. Também é imprescindível para atrair novas empresas. Ou seja: Ribeirão Preto pode deixar de receber novas indústrias e pode até perder as que já estão no Distrito Empresarial, caso o Aeroporto Leite Lopes não seja concluído dentro do prazo estabelecido no cronograma.

Nesta semana, novas reportagens sobre o aeroporto mostram que o Governo Federal, por meio da Secretaria de Aviação Civil, aprovou o projeto de obras no Leite Lopes. Serão obras para modernizar o espaço, financiadas com verbas federais, que devem ser licitadas no início do ano que vem.

Enquanto isso, a Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), abriu licitação para complementar o projeto executivo do túnel da Avenida Thomaz Alberto Whately, que vai permitir o deslocamento da pista de pouso e decolagem. De acordo com os prazos, o projeto executivo deverá ser entregue também no início do ano que vem. A data de abertura estipulada no cronograma, porém, é dezembro deste ano.

O Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo), que administra o Leite Lopes, afirma que, apesar disso, as obras terão o prazo determinado cumprido.

Em 5 de julho do ano passado, assinei um convênio com o governador Geraldo Alckmin para o investimento no aeroporto. Mais de um ano se passou. E minha batalha continua para que o cronograma não seja deixado de lado.

A ampliação do Aeroporto Leite Lopes representa desenvolvimento e geração de emprego e renda para toda nossa região. Agiliza o trabalho das empresas. Dá mais conforto e estrutura aos passageiros. Amplia a capacidade de exportação e importação.

Não vou parar enquanto nosso aeroporto não sair do papel. É preciso garantir o terminal alfandegário funcionando. É preciso melhorar a estrutura para os taxistas, com cobertura. É preciso um corredor de passageiros coberto até o ponto de táxi – assim, quando estiver chovendo, ninguém precisa se preocupar. Durante todo esse tempo, vou cobrar pelo cumprimento do cronograma das obras.  É um ganho para Ribeirão Preto. É um ganho para todos nós.

Dárcy Vera
(artigo publicado na edição de 30 de outubro de 2013, no Jornal Tribuna de Ribeirão Preto)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O Atendimento à Violência Doméstica

Que nós, mulheres, somos guerreiras, batalhadoras e lutamos pelo que queremos, todos sabem. Que nós temos uma rotina movimentada, dividindo as horas de todos os dias entre o trabalho, a casa e a família, também todos sabem. Mas nem todos conhecem a fundo um grande problema que prejudica muitas mulheres: a violência doméstica.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em média ocorrem 5.664 mortes de mulheres por causas violentas a cada ano. São 472 a cada mês, 15,52 a cada dia, ou uma a cada hora e meia. Entre essas mortes, estão registrados os casos de maus-tratos, agressão por meio de força corporal, força física ou violência sexual, por exemplo. São números absurdos e reverter essa situação é fundamental.

De acordo com o estudo do Ipea, que foi divulgado no último mês. As mulheres jovens foram as principais vítimas de violência entre os anos de 2009 e 2011 - 31% na faixa de 20 a 29 anos e 23% de 30 a 39 anos.

Só em Ribeirão Preto, segundo estatísticas da Delegacia de Defesa da Mulher, o total de ocorrências registradas no município chegou a 3.823 de janeiro a setembro deste ano. São estupros, agressões e ameaças. Atos violentos que não podem continuar a acontecer.  

São números alarmantes, que se misturam com as políticas públicas criadas em prol das mulheres, como a Lei Maria da Penha ou a própria Casa Abrigo, em Ribeirão Preto, que atende as vítimas de violência. As atitudes dos governos municipal, estadual e federal são fundamentais para que os números diminuíam. Também são indispensáveis os movimentos independentes das mulheres o todo o trabalho da Coordenadoria da Mulher, que tem se empenhado, diariamente, nessa luta. 

Nesse cenário, é de se elogiar a postura da Delegacia da Defesa da Mulher, e aqui também destaco o trabalho da delegada Luciana Renesto, que tem se esforçado, e muito, por essa causa, além de ter prestado todo o apoio aos projetos municipais e independentes que visam o combate à violência contra a mulher.

Não é a primeira vez que escrevo sobre a violência contra às mulheres neste espaço. Também não é a primeira vez que lembro o quanto nós, mulheres, somos guerreiras. Precisamos enfrentar os problemas e precisamos ter apoio para isso. Quero que, cada vez mais, tenhamos uma estrutura que colabore com nossa defesa e nos garanta respaldo.

A violência contra a mulher não é apenas física. É verbal. É moral. São palavras grosseiras que tentam menosprezar, desqualificar. Palavras que ferem e que agridem. 

Por isso, envio hoje ao presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, um pedido para a criação de uma vara em Ribeirão Preto exclusiva para o andamento de casos relacionados à violência contra a mulher. Esse pedido é resultado de uma reunião que tive com o diretor do fórum de Ribeirão Preto, o juiz Sylvio Ribeiro, que também trabalhado incansavelmente nessa causa. No pedido, solicito que seja implantada a Vara Especial de Atendimento à Violência Doméstica. É mais um mecanismo para a defesa da mulher. É mais uma ferramenta para que nós, mulheres, possamos nos unir e encontrar alternativas ao problema que atinge tantas brasileiras. É um trabalho conjunto para diminuir a violência doméstica em nossa cidade.


Dárcy Vera
(artigo publicado na edição de 23 de outubro de 2013, no jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

SOBRE O AEROPORTO LEITE LOPES

Fiquei bastante preocupada com a reportagem que li hoje na Folha de S. Paulo sobre novo relatório ambiental para as obras do AEROPORTO LEITE LOPES. A realização de mais um longo estudo atrasaria as obras e, com isso, atrasaria todo um investimento que será aplicado na ampliação do LEITE LOPES. Há um cronograma a ser cumprido. Os empresários, inclusive o CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), contam com essas obras e com esse cronograma. A ampliação do AEROPORTO LEITE LOPES trará benefícios não apenas aos passageiros, mas também à população de Ribeirão Preto, que conta com essa ampliação. A ampliação do LEITE LOPES representa desenvolvimento e geração de EMPREGO e renda para toda nossa região. 

Aqui, LINK da matéria:


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Matérias do DCI mostram desenvolvimento de Ribeirão Preto

Nesta semana, o jornal DCI publicou matérias sobre novos empreendimentos de Ribeirão Preto e sobre ações de nossa cidade. 

Vejam abaixo:







quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Causa Animal: trabalho intenso em Ribeirão Preto

Na semana passada, a Prefeitura de Ribeirão Preto divulgou importantes projetos voltados à causa animal. Duas medidas diferentes que vão colaborar com nossa cidade.

Foi divulgada a página oficial no Facebook do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Lá, são divulgadas notícias relacionadas ao CCZ, como feiras de adoção e campanhas de vacinação. Também são divulgados os animais que estão em busca de um novo lar. Por exemplo, a Flor, o Evandro, o Beiçola, o Demy, a Carmen Silva e o Arnold estão lá, à espera de uma nova família.

Essa divulgação é importante, pois a população passa a ter acesso ao trabalho realizado pela equipe do Centro de Controle de Zoonoses, além de saber que existem animais que precisam de nosso olhar carinhoso e de nossa ajuda. Para quem quer um cãozinho de estimação, por exemplo, essa é uma grande oportunidade. E você pode acessar a página pelo endereço www.facebook.com/ccz.rp.

Outra boa notícia na causa animal que foi divulgada na última semana é o convênio firmado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, para a implantação de um projeto que vai identificar e castrar pelo menos 5 mil cães e gatos em Ribeirão Preto.

O trabalho será realizado a partir de uma emenda do deputado federal Ricardo Tripoli, no valor de R$ 500 mil, com contrapartida da Prefeitura de R$ 48 mil. A ideia, intermediada pela vereadora Viviane Alexandre, é implantar um serviço especializado, com castração de 5 mil animais nos primeiros dois meses. A licitação está prevista para acontecer em janeiro e o trabalho deve começar já em fevereiro.

Também será feito um serviço de monitoramento por meio da aplicação de microchips nos animais. Isso vai permitir a identificação de cães e gatos para que as equipes tenham todas as informações a respeito de cada um deles.

O projeto também prevê a contratação de uma unidade móvel itinerante, que vai percorrer os bairros de Ribeirão Preto. Afinal, segundo levantamentos de Organizações Não Governamentais (ONGs) de proteção animal na cidade, são cerca de 300 mil animais abandonados nas ruas do município.

Todas essas ações voltadas à causa animal são fundamentais. Tanto a busca de um novo lar quanto o controle populacional de animais são importantes para a manutenção da saúde e do bem estar em nossa cidade.

Além dessas medidas anunciadas na última semana, a Secretaria Municipal de Saúde pretende contratar um médico veterinário para a pasta no ano que vem. O objetivo é ampliar o atendimento aos animais e buscar a castração de mais 800 animais a cada mês, por meio dessa ação da prefeitura.

Também tenho conversado frequentemente com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e com a presidente Dilma Rousseff, para que seja implantado um projeto de lei, por meio do Ministério ou da Vigilância Sanitária, voltado à causa animal. O Brasil precisa de políticas públicas e de trabalho em prol dos animais, pois é ampliando o atendimento e criando projetos que vamos conseguir avançar nessa área tão importante e presente na vida de todos nós. 


Dárcy Vera
(artigo publicado na edição de 16 de outubro de 2013, no Jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Exposição O Fantástico Corpo Humano chega a Ribeirão

(Matéria desta terça-feira, 8/10, no Jornal DCI)

Projeto Recomeço: para tratar dependentes químicos

Ontem, segunda-feira, recebi em meu gabinete o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Rogerio Hamam. O objetivo de sua visita foi dar início, em Ribeirão Preto, ao projeto Recomeço. Um projeto que desenvolvido entre Prefeitura, Secretaria de Estado da Assistência Social e comunidades terapêuticas. Vamos começar acolhendo oito dependentes químicos que aceitaram o tratamento de forma voluntária em parceria com algumas entidades assistenciais do nosso município. A parceria com o Governo do Estado limitou 300 pacientes para os próximos meses. O número faz parte de um projeto piloto. 

Para fazer parte do programa, é necessário que o paciente busque a recuperação voluntariamente. O encaminhamento será feito pelos profissionais que trabalham nos Centro de Referência da Assistência Social (Cras), unidades básicas de saúde, Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps/AD), UPA e unidades básicas distritais de saúde de nossa cidade. O tratamento não tem custo para o dependente químico. Quem repassará a verba para o tratamento será o Governo do Estado de São Paulo diretamente para as comunidades terapêuticas. Para isso será necessário credenciá-las junto à Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania.

O paciente receberá um cartão com seus dados. A comunidade terapêutica receberá autorização para receber os pacientes pelo programa. E é o Cartão Recomeço que vai servir para controlar a presença do dependente em seu tratamento.

Para que o trabalho seja desenvolvido, será repassado pelo Governo do Estado às entidades credenciadas o equivalente a R$ 1.350 por mês, a cada paciente, por até 180 dias.

Ribeirão Preto, com grande trabalho na área de reinserção social, é uma das 11 cidades que recebem o Cartão Recomeço nesse início de projeto. Uma oportunidade importante, que será totalmente aproveitada.

A dependência química é um grande desafio a ser enfrentado, não apenas por gestores públicos, mas pelas famílias. Principalmente pelas famílias. E, claro, pelos próprios pacientes. É preciso força de vontade para vencer as drogas. É preciso apoio e estrutura para que os dependentes químicos contem com o suporte necessário para ultrapassar esse obstáculo.

Todos nós conseguimos vencer. Quando lutamos com fé, quando batalhamos com intensidade, alcançamos nossos objetivos. Ouço muitas histórias de vitória dos pacientes dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas de Ribeirão Preto. Esse projeto atende adultos, crianças e adolescentes. Faz, da luta de cada dia, uma luta conjunta.

Para os próximos anos, queremos ampliar a rede de atenção psicossocial. É nosso plano, também, dar andamento ao programa “Crack É Possível Vencer”, do Governo Federal. Em Brasília, estive com a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki. Por meio dela, consegui duas bases móveis de segurança, que farão um amplo trabalho de combate às drogas.

As políticas públicas, aliadas à força de vontade e ao desejo de vitória do paciente, podem fazer a diferença. Podem, de gesto em gesto, mudar a vida de muitas pessoas. Podem trazer oportunidades a quem quer mudar a realidade. Porque recomeçar é possível. Basta querermos. E, se você busca informações, entre em contato com a equipe do CAPS, na Rua Pará, 1.280.



Dárcy Vera
Prefeita de Ribeirão Preto
(artigo publicado na edição de 8 de outubro de 2013, no jornal Tribuna)

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Cinépolis abre novo complexo de cinemas em Ribeirão

Para quem curte cinema, a rede Cinépolis abre um novo complexo em Ribeirão Preto. Uma proposta diferente, com atendimento personalizado. O novo projeto também vai oferecer mais opções em cartaz para quem quer assistir a um filme!

Confiram abaixo matéria do Jornal A Cidade:


Investimento de R$ 259,5 milhões em shopping gera empregos - DCI

Hoje, o jornal DCI publicou uma reportagem sobre a inauguração do Shopping Iguatemi em Ribeirão Preto. O texto destaca a geração de empregos e o desenvolvimento de nossa cidade.

Uma reportagem muito interessante, que mostra exatamente os efeitos de um grande investimento no município.

Vale a pena conferir!



terça-feira, 1 de outubro de 2013

Rede social, uma ferramenta necessária

Na semana passada, a presidente Dilma Rousseff anunciou sua volta ao Twitter. Anunciou também páginas do Palácio do Planalto e um perfil no Instagram. Agora, a presidente está novamente conectada à rede.

Desde 2009, em meu primeiro mandato como prefeita, aderi às redes sociais. No início, era o Orkut, o Twitter – que mantenho até hoje – e um blog, onde eu posto textos e notícias. Depois, comecei a usar o Facebook e o Instagram. Hoje, esses perfis são muito importantes, não só para que eu mantenha contato com a população, mas para que também sejam encaminhadas as solicitações dos moradores de nossa cidade.

Por semana, recebo milhares de mensagens em todas as minhas contas – isso sem contar os e-mails. Faço questão de ler todos os recados e responder. Faço questão de postar informações sobre o município e também sobre assuntos que acho importantes, não apenas da cidade, mas do Brasil e do mundo. É pelo Twitter, pelo Facebook, pelo Instagram e pelo blog que falo sobre os livros que estou lendo, que troco ideias, que recebo sugestões e críticas. É pelas redes sociais que respondo os cidadãos que ajudam a construir Ribeirão Preto e que também se preocupam com nossa cidade. É pela internet que consigo manter contato diário com ribeirão-pretanos de todos os bairros, de todas as regiões.

A rede social dá agilidade à comunicação. É uma ferramenta necessária e moderna. A tecnologia criou uma aproximação e interação maiores, encurtando os caminhos e facilitando resultados.

Para mim, o contato pela rede social é fundamental nos dias de hoje, pois as informações são divulgadas a toda velocidade. É fundamental, também, pois os serviços públicos podem ser agilizados. O número de solicitações ocupa boa parte dos pedidos online, antes feitos apenas via 0800 - atualmente 156, que agora também recebe ligações de aparelhos celulares.

A demanda de solicitações pela rede social é tamanha que foi preciso modernizar a forma de conversar com o cidadão. Por isso, foi necessário criar páginas da Prefeitura no Facebook e no Twitter.

O Fala Cidadão também tem seus perfis, assim como o Daerp (Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto). Tudo isso para que o serviço público esteja conectado 24 horas por dia. Para que os funcionários públicos estejam à disposição da população quando a necessidade aparecer. E para que a Prefeitura esteja conectada a cada cidadão. É assim que deve ser. É isso que a modernidade exige do ente público.

É claro que não dispenso o contato pessoal. Por isso, faço questão, além de trocar mensagens e comentários com o pessoal da internet, de encontrá-los pessoalmente, de visitar os bairros e de ver qual o resultado efetivo de todo esse contato virtual. E digo a vocês: esse resultado é muito positivo. Positivo, pois o serviço público não deve ser tratado de forma mecânica, deve ser tratado de forma humana. É preciso que a população tenha retorno, tenha uma satisfação e tenha uma resposta sobre o que foi feito, sobre prazos e sobre os projetos. Isso é fundamental.

Aproveito este espaço para agradecer a todos que se utilizam das redes sociais. Que acessam minhas páginas ou a página da Prefeitura. Agradeço quem me envia mensagens, comentários, sugestões e solicitações. Essa interação é importante e fundamental para dar agilidade aos serviços.


Dárcy Vera
Prefeita de Ribeirão Preto

(artigo publicado na edição de 1 de outubro de 2013 do jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Ação Cidadania: transformando a vida da população

Tirar o  RG, CPF, fazer Carteira de Trabalho, cortar o cabelo, checar a pressão arterial ou verificar o índice de massa corporal. Atos que parecem simples, mas que passam despercebidos no dia a dia. Por causa da correria na rotina de trabalho, nas atividades de casa, às vezes deixamos para trás atividades importantes, fundamentais para nossa vida. O que parece fácil fica esquecido.

O Ação Cidadania nasceu em 2011, com o objetivo de levar todos esses e outros serviços para perto da população. Em programações itinerantes, realizadas em bairros de diferentes regiões de Ribeirão Preto, mais de 39 mil atendimentos foram contabilizados nas cinco primeiras edições do projeto. Só na sexta edição, que aconteceu no último sábado, no Jardim Florestan Fernandes, foram mais de 4 mil pessoas atendidas. Um grande projeto encabeçado pela Secretaria de Assistência Social, com apoio dos governos do Estado e Federal.

No Ação Cidadania, você tem várias opções de atendimento. Desde vagas em creches, inscrição no Bolsa Família, fotos para documentos, entre tantos outros.  Lá, encontrei o Vitor, que estava tirando a sua primeira carteira de trabalho. Ele é jovem, estava animado e prestes a entrar no mercado profissional.  Um momento importante e único em sua vida.

Marcou presença a equipe do Centro de Qualificação Social e Profissional de Ribeirão Preto, que divulgava as várias oportunidades de cursos profissionalizantes. Inclusive, com inscrições sendo feitas no local. Era só escolher o curso.

Conversei com a equipe de Nutrição da Unaerp, que prestou atendimentos sobre alimentação a quem passou pelo evento. Muita gente querendo perder peso e manter uma alimentação saudável. Enquanto isso, na sala ao lado, a equipe do Centro Universitário Moura Lacerda dava orientações jurídicas a muitas famílias que tinham dúvidas. E não parou por aí.

Foram mais de 350 voluntários contribuíram com esta edição. Mais de 350 pessoas que fizeram o Ação Cidadania acontecer. Voluntários e equipe de várias secretarias da prefeitura em um sábado ensolarado, prestando ações de cidadania. Merecem destaque e aplausos os envolvidos na ação em prol do bem. Um evento que facilita a vida da população e que mostra, efetivamente, qual a função de todos nós: transformar a vida para melhor, de maneira ágil, rápida e eficiente.

Só em Ribeirão Preto, são quase 700 mil habitantes. E a ação entre o poder público e a iniciativa privada fizeram a diferença na vida de muitos desses habitantes. Oferecer uma atitude, estender a mão, orientar e mostrar o caminho. Esclarecer, solucionar, encaminhar, ajudar e facilitar a vida do próximo.

De maneira prática, isso é o Ação Cidadania. Como o próprio nome diz, é ação. É agir para aproximar o cidadão do seu direito. É facilitar a vida dos ribeirão-pretanos. É contato direto com os moradores. Lá, tive a oportunidade de conversar com muita gente do bairro. Falamos, inclusive, dos projetos para aquela região. A principal pergunta era se já havia sido desapropriada a área da entrada do Complexo Ribeirão Verde. A resposta é sim. Já foi até publicada a declaração de utilidade pública dos terrenos no Diário Oficial. Ali será aberta a Avenida Antonia Mugnatto Marincek, um benefício para mais de 70 mil motoristas que passam pela região diariamente.

Lá, também vi a garra de todos que estavam trabalhando animados e a satisfação nos olhos de quem era atendido. Isso é maravilhoso. Ver um adolescente que tirou sua carteira de trabalho e saber que nele mora o sonho de toda uma vida de sucesso pela frente. Ver a mãe que levou seu filho para tirar o RG e, com alegria, comemorar essa conquista. Encontrar famílias resolvendo suas pendências. É tudo isso e muito mais. Para conferir de perto, basta participar.

O próximo Ação Cidadania já está programado: será no Parque Ribeirão. Faça parte dele com a gente a ajude a transformar a vida de tantas pessoas.


Dárcy Vera
Prefeita de Ribeirão Preto
(artigo publicado na edição de 24 de setembro do jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Setor de supermercados deve continuar em expansão - Jornal A CIDADE

Matéria da edição de hoje do Jornal A CIDADE mostra que RIBEIRÃO vai ganhar mais supermercados. Isso significa geração de emprego e renda em nossa cidade. Uma expansão constante, que é sinônimo de desenvolvimento.


Confiram MATÉRIA:

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Iguatemi abre com 80% das operações - Jornal A CIDADE

Matéria do Jornal A CIDADE de hoje destaca a chegada do Shopping IGUATEMI a Ribeirão Preto. Com ele, serão geradas 1.500 NOVAS VAGAS DE EMPREGO DIRETAS. Se forem contadas as INDIRETAS, o total chega a 6.000.

A expectativa da diretoria do Shopping é que o movimento, nos primeiros anos, ultrapasse 20 mil pessoas por dia.



terça-feira, 17 de setembro de 2013

Shopping Popular: o mais novo local de compras de Ribeirão

Ribeirão Preto ganhou 93 novos microempreendedores. Você pode não reconhecê-los nas ruas. Mas eles estão lá. Com uma vida nova e com um sonho realizado.

A vida de 93 famílias mudou. E mudou para melhor. Noventa e três trabalhadores, que antes eram ambulantes, agora são microempreendedores individuais (como parte do programa municipal, o MEI). Hoje, eles possuem um emprego oficial, com seus devidos direitos. Para muitos, é o primeiro registro na carteira de trabalho. Para todos, é o início de uma vida nova.

Tudo isso é fruto da inauguração do Shopping Popular de Ribeirão Preto. Um novo espaço para o comércio de nossa cidade, que vai gerar mais emprego e renda.

A implantação do Shopping Popular, que ficará na Rua General Osório, 52, promete mudanças não só para os comerciantes, mas para toda a população. E não é apenas porque, agora, os consumidores têm uma nova opção para fazer as compras. Mas porque nasce, com esse projeto, uma cultura de paz.

Cultura de paz, pois é um grande passo para o fim dos embates entre ambulantes e a Fiscalização Geral. Com a relação pacífica é que construímos uma sociedade democrática. Com questionamentos, com reivindicações e protestos também. Mas com respeito por quem está ao nosso lado. Com parceria junto daqueles que estão em busca de alternativas e de uma sociedade melhor. Com questionamentos para que contestemos os problemas e encontremos soluções. É construindo pontes e apontando caminhos que as oportunidades se materializam. E um agradecimento especial devemos fazer: à Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (ACIRP) e a empresários de nossa cidade que colaboraram para que esse projeto se tornasse realidade.

Não são só 93 microempreendedores que fazem parte do novo Shopping Popular. São 93 homens e mulheres que têm a esperança de uma vida nova. São 93 trabalhadores que lutaram por anos para ter uma oportunidade. São 93 corações que batem por um amanhã melhor.

No dia da entrega das chaves dos 93 boxes, me emocionei com o depoimento de uma das comerciantes, a Rosângela. “Hoje somos microempreendedores. Amanhã seremos empresários em Ribeirão Preto”, ela disse.

Essa frase resume a esperança dos comerciantes. Munidos de força de vontade, do empenho e da dedicação, eles darão início a uma nova jornada.

Com a geração de empregos, com investimentos em novos empreendimentos e com mais oportunidades às famílias, Ribeirão Preto continuará a crescer. E não vai parar.

Que as portas abertas do Shopping Popular sejam as portas de entrada para um novo trabalho, para um novo emprego, para uma nova oportunidade.

Vá conhecer o mais novo shopping de Ribeirão Preto, o Shopping Popular. Confira a mudança na vida dos microempresários. E, claro, faça ótimas compras!


Dárcy Vera
Prefeita de Ribeirão Preto
(artigo publicado na edição de 17 de setembro de 2013 do jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Desenvolvimento econômico - Ribeirão Preto


Matérias do Jornal A CIDADE de hoje destacam o desenvolvimento econômico de Ribeirão Preto. A primeira retrata o aquecimento imobiliário e a segunda o crescimento dos negócios na cidade.

Duas ótimas notícias! Novos empreendimentos geram empregos e oportunidades às famílias. 
Parabéns, Ribeirão Preto!






terça-feira, 10 de setembro de 2013

Ribeirão Preto: terceira melhor cidade para se viver


Ribeirão Preto é a terceira melhor cidade para se viver no Brasil, segundo a pesquisa “Desafios da Gestão Municipal”, da consultoria Macroplan. Os dados foram divulgados na última semana e nossa cidade tem muito a comemorar. Estamos melhorando a cada dia, como comprova o levantamento. E vamos chegar ainda mais longe.

A pesquisa coloca Ribeirão Preto atrás apenas de Jundiaí, segunda colocada, e Curitiba, a líder do ranking. Além de estarem no topo da lista, os dois municípios também merecem os cumprimentos por terem populações que se orgulham de terem conquistado o pódio. E nós, que vivemos em Ribeirão Preto, também devemos nos orgulhar de tantas conquistas.

Como moradora e prefeita, sei que há muito a ser feito por nossa cidade. Por isso tenho batalhado tanto. Por isso tenho viajado a Brasília e a São Paulo. Tenho buscado recursos e investimentos. Nunca se fez tanto por Ribeirão Preto como agora: vamos receber, por exemplo, obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) que vão melhorar ainda mais a infraestrutura do município. Vamos abrir avenidas, construir viadutos, pontes, túneis, pavimentar vários bairros, implantar ciclovias, corredores de ônibus e fazer muito mais.

Ontem mesmo assinei os contratos para a instalação de 12 empresas no Distrito Empresarial de nosso município. Só com elas, serão geradas mil novas vagas de empregos. Com esta terceira etapa de investimentos na área, já alcançamos a marca de 82 empresas. Em 2006, quando o distrito foi lançado, tínhamos apenas uma empresa. Ou seja, em sete anos o crescimento foi de mais de 80 vezes. Grandes indústrias fizeram de Ribeirão Preto seu novo porto seguro. Empresários investiram em nossa cidade, aumentaram a capacidade de produção e se estabeleceram no município.

Apenas para se ter uma ideia, ao fim da terceira etapa do Distrito Empresarial, o faturamento, por ano, será de R$ 150 milhões. O ganho é de todos. Ganha o município e ganha a população. Mais emprego e renda para as famílias de nossa cidade. 

São conquistas como essa que não podem passar despercebidas. Nossa cidade ser a terceira colocada em qualidade de vida, num país com mais de 5.500 municípios, é uma vitória pra lá de importante. Conquistas como essa, para toda a população, rendem enormes frutos. Famílias têm a chance de uma vida melhor com novas oportunidades de trabalho. Vivem com mais dignidade.

Eu tenho orgulho de Ribeirão Preto. Tenho orgulho de ver nossa cidade crescer. Tenho orgulho dos ribeirão-pretanos.  Orgulho dessa gente que faz nossa cidade acontecer.  Homens e mulheres que fazem sonhos virarem realidade.

Temos de nos orgulhar do terceiro lugar na pesquisa. E, o mais importante: nos orgulhar sabendo que podemos chegar ao primeiro lugar. 

Ainda há muito para fazer. Não evoluímos da noite para o dia. É preciso muito trabalho, empenho e persistência.

Estamos juntos nessa luta. Eu e todos os ribeirão-pretanos. Vamos nos orgulhar do terceiro lugar. E estamos perto do primeiro. Com esforço, podemos chegar lá.


Dárcy Vera
(artigo publicado na edição de 10 de setembro do jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Contagem errada do Censo prejudica Ribeirão Preto

No último domingo, o Jornal A CIDADE publicou artigo que escrevi sobre a contagem do Censo em Ribeirão Preto.

Nem todo mundo sabe, mas o número de habitantes influencia, também, em repasses federais e estaduais para a cidade. 

Por isso, insisto em dizer: é necessária uma contagem precisa da população para que o município não seja prejudicado.

Abaixo, o texto:


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Violência contra as mulheres: desafios e conquistas

No ano em que a Lei Maria da Penha completa sete anos, o Brasil dá mais um importante passo em direção à defesa das mulheres. O Senado aprovou, na última semana, quatro projetos sugeridos pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra a Mulher. São quatro documentos diferentes, mas com um mesmo objetivo.

Uma das propostas classifica a violência doméstica como crime de tortura. A outra, aprova o atendimento especializado no Sistema Único de Saúde (SUS) às mulheres vítimas de violência. Também foram aprovadas a garantia de benefício temporário da Previdência a elas, além da exigência de rapidez na análise do pedido de prisão preventiva aos agressores.

São projetos que agora passarão pela análise da Câmara dos Deputados. Projetos importantes, que voltam os olhares do Congresso a nós. Em um país que pela primeira vez é comandado por uma mulher, é fundamental que encontremos caminhos rumo ao fim do preconceito.

A aprovação desses projetos aconteceu na semana em que São Paulo recebeu o 9º Encontro Internacional da Marcha das Mulheres. A ação foi classificada como uma “luta contra a globalização da indiferença”, segundo a ministra da Secretaria Nacional de Política para as Mulheres, Eleonora Menicucci. Mais de mil mulheres, de 48 países, se reuniram na capital. Clamaram por direitos. E deram outra mostra de que juntas podemos chegar cada vez mais longe.

Mas ainda há outra boa notícia. Mais projetos em favor das mulheres devem tramitar em Brasília. Há outras três medidas que também estão encaminhadas: a proposta que estabelece o “feminicídio” (um agravante do homicídio, nos casos em que se mata uma mulher); a criação do Fundo Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres e a proposta que destina parte dos recursos do Fundo Penitenciário Nacional a abrigos que acolham vítimas de violência doméstica.

Nós, mulheres, estamos conquistando mais espaço, mais oportunidades e mais vitórias. Lutamos muito e essas conquistas começam a dar frutos. No Brasil, nunca estivemos em tantos cargos de chefia, em tantas diretorias. Nunca tivemos tanta carteira assinada, tantos benefícios em nossos empregos. Portas se abrem e oportunidades aparecem. Mas ainda há lutas pela frente. Mulheres com mais de 50 anos, por exemplo, ainda enfrentam preconceitos por causa da idade. Isso precisa ser vencido, pois trabalhadoras experientes perdem vagas por causa da idade e empresas perdem grandes profissionais.

Como prefeita, eu sabia que enfrentaria muitos desafios, não apenas pelo cargo que ocuparia, mas também por ser uma mulher à frente da Administração. É fato. Ainda enfrento preconceitos e as cobranças são maiores. Conversando com outras colegas prefeitas, vejo que enfrentam os mesmos problemas. Somos mais cobradas e mais exigidas do que homens no poder. A ignorância de poucos chega a doer na alma. Quando não conseguem atingir a parte profissional, tentam nos desclassificar moralmente. O que precisamos é de um tratamento sem preconceitos.

Eu sabia que seria grande desafio ser a primeira mulher prefeita num universo que sempre foi masculino. Mas sou igual a qualquer mulher brasileira, cheia de fé e esperança. Guerreiras do dia a dia, que cuidam de casa, da família e do trabalho. Cada minuto, um desafio. Cada obstáculo, uma nova luta.

Por todas essas conquistas de anos de luta, digo a todas as mulheres: - Nunca desistam. O caminho ainda é longo e juntas, vamos chegar lá.

Dárcy Vera
(artigo publicado na edição de 03 de setembro do jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

OPORTUNIDADES - Cinépolis



Vagas Cinépolis Iguatemi - RIBEIRÃO PRETO

• Atendente (20 vagas) - salário de R$ 750 mais benefícios. Idade: de 18 a 35 anos;

• Auxiliar de serviços gerais (5 vagas) - salário de R$ 730 mais benefícios. Necessária experiência mínima de um ano. Idade: de 25 a 45 anos;

• Supervisor Operativo (2 vagas) - salário de R$ 950 mais benefícios. Necessária experiência como supervisor de varejo.

Os interessados devem encaminhar currículo para: selecao.ribeirao@gentemais.com.br.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Violência em Ribeirão Preto - editorial A CIDADE

Hoje, o editorial do jornal A CIDADE trata da VIOLÊNCIA no Estado.
Fala, inclusive, de uma padaria que foi assaltada DOZE vezes em menos de um ano.
A falta de segurança, além de tirar o sono das famílias, prejudica os comerciantes de Ribeirão Preto.

O Secretário Estadual de Segurança Pública, Fernando Grella, esteve em nossa cidade na última terça-feira. Ele anunciou reforço de 640 policiais. Seria uma ótima notícia, se não fosse um número tão pequeno de profissionais para nossa região.
Esses 640 policiais vão abastecer 93 cidades. Ou seja, serão APENAS SEIS POLICIAIS PARA CADA MUNICÍPIO.

O Sindicato dos Policiais cobrou mais. Disse o que eu sempre digo: nosso efetivo de 1.892 policiais é INSUFICIENTE. Seriam necessários 2.532 PMs. Foi dito, inclusive, que o Governo do Estado deu as costas à população e que seriam necessários, pelo menos, mais 500 policiais.

Quando cobro o governador Geraldo Alckmin, a imprensa afirma que estou criticando. Na verdade, estou é COBRANDO.

Cobrando para que nossa população tenha mais SEGURANÇA, mais conforto e mais tranquilidade.
Cobrando pelo combate à CRIMINALIDADE.
Cobrando, em nome de Ribeirão Preto, por mais qualidade de vida.

E vou continuar a fazer isso.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Decisão da Aneel vai quebrar as prefeituras

Você sabe o que determina a Resolução 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)? Segundo essa medida, os ativos da iluminação pública serão transferidos aos municípios a partir de janeiro do ano que vem. Isso significa que os gastos com a energia elétrica passarão às prefeituras. Ou seja, as cidades arcarão com as despesas e não devem ser ressarcidas por isso. É como se você quitasse uma casa, mas continuasse a ter de pagar as prestações ao seu antigo proprietário. Inadmissível.

Até dezembro deste ano, a situação continuará como hoje: em Ribeirão Preto, as solicitações são encaminhadas para a CPFL Energia, que repassa o orçamento da obra à Prefeitura. Esse orçamento é enviado para a Secretaria da Fazenda, que faz o pagamento à CPFL. A companhia executa os serviços e faz a manutenção nas lâmpadas. A verba para esses trabalhos vem da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) e do Fundo de Energia, repassado pelo Governo Federal.

A partir de janeiro do ano que vem, quando a Resolução 414 entra em vigor, o cenário muda. As prefeituras passam a ser responsáveis por: implantação de postes, substituição de iluminação pública, instalação de braços de luz e até call center para atendimento dos munícipes. Isso mesmo. Tudo o que hoje é função de companhias passará aos governos municipais. Teremos de adquirir caminhões, cabos, reatores, lâmpadas e contratar pessoal.

Isso implicará em aumento de 28% nos gastos das prefeituras, segundo estimativa da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Esse acréscimo deixaria todas as cidades brasileiras numa situação muito difícil. Só em Ribeirão Preto, elevaria em mais de R$ 3 milhões as contas com iluminação pública - que já superam R$ 12 milhões a cada ano.

Já participei de várias audiências públicas e reuniões da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para debater esse tema. Estive no Senado Federal e no Congresso Nacional.  Nessas reuniões, o assunto é o mesmo: a dificuldade que as prefeituras já têm em aplicar recursos, quitar as dívidas e cumprir a aplicação de verbas em todos os setores, de acordo com as determinações do Governo Federal. É visível a dificuldade cidades. É visível a necessidade de uma revisão urgente no Pacto Federativo para que os municípios e Estados recebam maiores repasses do governo federal. Se essa decisão da Aneel não for revista, deixará muitas cidades no escuro. É verdade. Tem prefeitos que não terão verba para pagar os ativos da iluminação. Principalmente os pequenos municípios, que dependem de verbas de deputados para sobrevivência.

Nesta terça-feira, embarco mais uma vez para Brasília. Desta vez, para uma audiência com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Vou, novamente, relatar a dificuldade não só de nossa cidade, mas de todas as cidades brasileiras, em arcar com os ativos da iluminação pública. Representando Ribeirão Preto e os outros municípios do Brasil, vou defender nosso posicionamento. Batalhamos contra essa resolução. 

Transferir os ativos da iluminação pública às cidades é elevar os gastos públicos e as dívidas das prefeituras. Em um momento em que a população brasileira cobra por mais investimentos, a Resolução 414 da Aneel joga por terra todo o esforço dos prefeitos por mais recursos.


Dárcy Vera

(artigo publicado na edição de 27 de agosto no jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A legalidade do repasse do IPM


Artigo de Feres Sabino sobre o IPM, publicado na edição de hoje do jornal Tribuna. 

É este o pensamento jurídico da Administração.


Mercado de Ribeirão Preto contrata mais em julho - Jornal A CIDADE

O mercado de Ribeirão Preto retomou seu crescimento e contratou mais neste mês de julho.

Abaixo, matéria do jornal A CIDADE sobre o assunto. 



Prefeitura quer mais bicicletas na rua - Jornal A CIDADE

O investimento em ciclovias é uma das prioridades da Prefeitura na mobilidade urbana de Ribeirão Preto. Com os recursos do Governo Federal, por meio do PAC 2, serão implantados mais de 50km de ciclovias na cidade. 

Uma alternativa importante e saudável no transporte.

Abaixo, matéria do jornal A CIDADE, na edição de hoje, sobre o projeto.




terça-feira, 20 de agosto de 2013

Violência: uma preocupação de jovens e adultos

Metade dos jovens do País já perdeu algum parente ou amigo próximo de forma violenta. O dado está na Pesquisa Nacional sobre Perfil e Opinião dos Jovens Brasileiros, realizada pela Secretaria Nacional de Juventude. De acordo com esse mesmo levantamento, a falta de segurança é a maior preocupação entre os brasileiros com idades entre 15 e 29 anos. Um dado preocupante, mas não surpreendente.

A Segurança Pública das cidades é de responsabilidade do Governo Estadual. Assim como os governos municipais cuidam do Ensino Básico das crianças, por exemplo, quem tem obrigação de garantir segurança à população é o Governo do Estado.

As prefeituras investem na Guarda Municipal, que tem como principal função proteger patrimônios públicos. Mas também combate crimes na cidade.

Ocorre que todo esse esforço das cidades não é suficiente. É preciso que haja atitude, também, na esfera estadual para que as famílias brasileiras tenham segurança ao sair de casa.

Estive em Brasília em fevereiro deste ano para buscar apoio da Secretaria Nacional de Segurança Pública, com a secretária Regina Miki. Isso, depois de enviar 150 ofícios ao Governo Estadual pedindo mais policiamento em Ribeirão Preto. Um pedido que não é apenas meu, mas é de toda a população.

Consegui duas bases móveis como parte do programa “Crack É Possível Vencer”, do Governo Federal. Uma delas será administrada pelo Estado, com a Polícia Militar, e outra pela Prefeitura, com a Guarda Civil Municipal. Haverá mais patrulhamento, mais policiais nas ruas, mais estrutura e mais segurança. Ainda não é suficiente, mas é uma importante conquista.

Dizem que mulher é teimosa e persistente. E eu sou assim. Luto incansavelmente pelo que acredito. Lutei para trazer a Agrishow de volta e consegui. Lutei para investimentos no Aeroporto Leite Lopes, também consegui. Lutei para acabar com as enchentes e consegui. Agora, luto para que o governador Geraldo Alckmin invista mais na segurança de nossa cidade.

Aliás, essa luta não é só minha e sim de toda a cidade. Ribeirão Preto quer mais segurança. Por isso, cobro dos governos Estadual e Federal por medidas que lhes cabem. E vou continuar a fazer isso. Viajo a São Paulo e a Brasília em busca desses recursos. É responsabilidade dos prefeitos buscar soluções. Mas é necessário que o Estado de São Paulo faça sua parte.

Também estive com moradores de várias regiões da cidade pedindo mais segurança ao Fernando Grella, secretário Estadual da pasta. A passos tímidos, está promovendo ações integradas entre a Polícia Civil, Polícia Militar, Grupo de Operações Especiais e helicópteros.

Mas, é preciso fazer mais. Ribeirão espera por isso. Neste cenário, a colaboração de nossos deputados estaduais é fundamental. Por isso, também tenho pedido ajuda a eles. E tenho tido apoio.

Não podemos deixar que a violência seja a grande preocupação dos jovens. A maior preocupação dos jovens deve ser com seus estudos, com a preparação para o futuro. E é para o futuro que, dia a dia, o Brasil tem de se preparar.




Dárcy Vera
Prefeita de Ribeirão Preto

(artigo publicado na edição de hoje, 20 de agosto, no jornal Tribuna, de Ribeirão Preto)

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Mais 80 inaugurações até dezembro - Jornal A CIDADE

Até o final do ano, Ribeirão Preto terá mais 80 inaugurações de estabelecimentos comerciais. Isso significa geração de emprego e mais desenvolvimento em nossa cidade.

Abaixo, matéria do Jornal A CIDADE que trata do assunto.


(Edição 15.08.2013)

terça-feira, 13 de agosto de 2013

O Pacto Federativo e a dificuldade das prefeituras


Embora pareça fácil, não é. Para atrair investimentos para o município, a batalha é longa. É preciso, primeiro, criar um projeto e viabilizar um plano de trabalho para buscar os recursos. Depois, é necessário protocolar a documentação nos governos Federal ou Estadual. O próximo passo é adequar o projeto de acordo com as necessidades técnicas e acompanhar toda a tramitação. Por fim, é preciso que seu projeto seja selecionado. Só então, os recursos chegam à cidade. E, ainda assim, para a realização de muitas obras, há a chamada contrapartida, que é um percentual do valor total do investimento, que será aplicado pelo Governo Municipal.

Esses investimentos são fundamentais para a população e a aplicação de recursos municipais é imprescindível para a realização de importantes obras nas cidades. Mas, existe um dilema: uma das principais queixas dos prefeitos é a falta de recursos. Muito se arrecada nas cidades, mas boa parte destes recursos acabam saindo dos municípios e vão para os governos Estadual e Federal. É um árduo trabalho consegui-los de volta na forma de projetos. Esta é uma das questões mais debatidas pela Frente Nacional de Prefeitos, da qual participo. Mas, não são só os prefeitos que têm essa dúvida. Esse é um problema que vem sendo questionado, também, pela população. O povo percebe a dificuldade dos governos municipais. Percebe que há vontade de muitos prefeitos em trabalhar e investir, mas falta verba. E esse dado foi comprovado na última pesquisa CNI/Ibope. De acordo com o levantamento, entre 68% e 73% dos entrevistados acreditam que o Governo Estadual investe muito menos do que poderia investir nas cidades. E, entre 66% e 71% dos pesquisados também acreditam que o Governo Federal também investe muito menos do que deveria nos municípios. A pesquisa analisou os setores de Saúde, Educação, Transporte e Segurança Pública.

Os dados comprovam que a população tem sede de investimentos, que quer melhorias, quer mudanças e acredita que é possível aplicar recursos nas cidades brasileiras. Mas, a população também percebe que falta apoio do Estado e da União para às prefeituras. 

A distribuição na arrecadação de recursos no Brasil não contempla todas as necessidades do povo. Por exemplo, em 1988, mais de 80% do que era arrecadado no País era repassado a Estados e municípios. Hoje, esse percentual não chega a 40%. É por isso que os prefeitos de todo Brasil querem uma revisão do Pacto Federativo, querem uma nova divisão das finanças do País.  Enquanto não houver essa revisão, continuará a faltar recursos e infraestrutura para a população.

Os prefeitos e as prefeituras continuam sendo cobrados por esses investimentos. É na cidade que as famílias vivem. É na cidade que homens e mulheres trabalham e crianças vão à escola. União, Estados e Municípios precisam rediscutir as obrigações de cada um. Minha luta é para que as cidades não continuem sendo prejudicadas como vem acontecendo. Por isso, defendo uma nova discussão sobre o Pacto Federativo.

Dárcy Vera
Prefeita de Ribeirão Preto

(artigo publicado na edição de hoje, 13 de agosto de 2013, no jornal Tribuna)

Etanolduto - Jornal A CIDADE

Matéria do Jornal A CIDADE de hoje, terça-feira, explica o que muda com a inauguração do ETANOLDUTO em Ribeirão Preto.
O trecho que foi inaugurado ontem em nossa cidade vai até Paulínia. Mas o projeto é bem maior.
Com o Etanolduto, a previsão é que 95 MIL VIAGENS de caminhão sejam eliminadas POR ANO. 
A cerimônia de ontem contou com a presença da Presidente Dilma Rousseff e do Governador Geraldo Alckmin. 





(Edição de 13.08.2013)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Esclarecimento sobre reportagem do jornal A CIDADE

Esclarecimentos sobre a reportagem "Acordo manterá PR no comando do DAERP", publicada hoje, dia 08/08, pelo Jornal A CIDADE.

- Em nenhum momento dei entrevista ao Jornal A CIDADE sobre o assunto acima. Nem por telefone e nem por e-mail.

- A afirmação na matéria de que impus CONDIÇÃO ao PR e que fiz acordo para a apresentação de um nome técnico não é verdadeira.

- A única afirmação feita pela Coordenadoria de Comunicação Social da Prefeitura de Ribeirão Preto é de que estou à procura de um profissional da ÁREA TÉCNICA.

- Repito, a indicação será técnica e não política partidária.

- É fato que dei CARTA BRANCA ao Superintendente Interino do DAERP, Marco Antônio dos Santos, para que faça as exonerações que considerar necessárias para o melhor funcionamento da autarquia.

- Determinei, inclusive, que sejam feitas todas as mudanças, neste momento, para regularização do abastecimento de água na cidade.

Meu objetivo é que a população tenha um serviço de qualidade. Quero que as pessoas tenham água na torneira e disso não abro mão.




(Edição de 08.08.2013)

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Hotelaria crescerá 15% até 2017 - Jornal A CIDADE


Ribeirão Preto está entre as 10 cidades brasileiras com significativo potencial no turismo de negócios, segundo um dos empresários entrevistado na matéria. Isso mostra que nossa cidade cresce e se desenvolve com as feiras, os grandes eventos e com os investimentos em estrutura que a Prefeitura tem realizado. 

Os novos lançamentos da rede hoteleira vão incentivar o comércio local, o que vai gerar mais renda e emprego em nossa cidade. Uma boa notícia para os trabalhadores, empresários e para a população!

(Edição de 07.08.2013)

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Combate à VIOLÊNCIA


A edição de hoje do Jornal A CIDADE traz uma informação que comprova a minha preocupação e de todos os ribeirão-pretanos: O CRESCIMENTO DA VIOLÊNCIA. 



É por isso que tenho trabalhado INCANSAVELMENTE. Por isso enviei mais de 150 ofícios ao Governo ESTADUAL pedindo mais policiamento. Por isso estive em Brasília, na Secretaria Nacional de Segurança Pública, com a Secretária Regina Miki, para garantir a participação de Ribeirão Preto no programa “Crack É Possível Vencer”. Tenho cobrado INSISTENTEMENTE por medidas que garantam a tranquilidade à população.

Conseguimos DUAS BASES MÓVEIS para a cidade com o Governo Federal. Uma será administrada pelo município, com a GUARDA MUNICIPAL, e a outra pelo Estado, com a POLÍCIA MILITAR.

Também pedi mais CINCO BASES DA POLÍCIA para o município. Conseguimos apenas a ampliação do 5º DISTRITO, que será feito em nossa cidade. 

A Prefeitura está trabalhando, correndo atrás dos recursos necessários para garantir a RIBEIRÃO toda a segurança necessária. Eu tenho participado de reuniões da Frente Nacional de Prefeitos e vejo que os municípios estão fazendo sua parte, buscando verba e investimentos. Mas, é preciso que ESTADO e UNIÃO também contribuam


quarta-feira, 24 de julho de 2013

SHOPPING POPULAR em RIBEIRÃO PRETO


Estou muito feliz. Fiquei encantada com o SHOPPING POPULAR que vamos entregar a 93 famílias, na Rua General Osório. Antes, ambulantes. Hoje, Micro Empreendedores Individuais. Em parceria com a ACI e o SEBRAE, todos esses trabalhadores se tornaram Micro Empresários. Isso é muito importante para todos eles, pois terão uma atividade regularizada.

A praça da alimentação do SHOPPING POPULAR ficou maravilhosa. Tem elevador panorâmico e toda estrutura para acessibilidade. Escadas com corrimão, banheiros masculino e feminino, área administrativa, etc... A reforma do Centro Popular de Compras, que agora será o PRIMEIRO SHOPPING POPULAR de Ribeirão Preto, faz parte da revitalização do Centro Histórico de nossa cidade. Inclusive, há um painel muito bonito no novo prédio, com fotos históricas de RIBEIRÃO e que mostram nossos pontos turísticos. Tenho certeza de que ser tornará um forte ponto comercial de Ribeirão Preto.

Agradeço a todos os parceiros e, em especial a ACI, pelo apoio. Agradeço a comissão de ex-ambulantes, e agora Micro Empreendedores, que acompanhou a obra desde o início. Todos os comerciantes que ficavam em boxes da Galeria da Duque de Caxias foram convidados a ir para o novo local. Haverá sorteio dos boxes depois da publicação no Diário Oficial dos nomes dos representantes. É proibida a comercialização de boxes. Caso não haja interesse, o boxe voltará para o município e será chamado o próximo da lista de espera. A inauguração está prevista para acontecer na SEGUNDA SEMANA DE AGOSTO, antes do Dia dos Pais. Todos estão muito empenhados para isso. Obrigada a todos que ajudaram. Obrigada ao Corpo de Bombeiros pelo acompanhamento da obra.

Grata a todos pela maravilha que ficou nosso SHOPPING POPULAR!

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Esclarecimento sobre a contratação de médicos estrangeiros: O que diz o Ministério da Saúde.

A contratação de médicos estrangeiros no Brasil é uma proposta do Governo Federal. O objetivo da Presidente Dilma Rousseff é ampliar o número de médicos em território nacional. Isso porque, segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui um número baixo de médicos para atendimento da população. Os dados apontam que o País tem uma média de 1,8 médico para cada mil habitantes, ante 3,2 da Argentina, por exemplo. A proposta prevê que os profissionais estrangeiros (de Portugal, Espanha e Argentina) atuem em áreas específicas - regiões periféricas e carentes, onde há dificuldade de contratações. Também determina que os médicos atendam apenas nas regiões para as quais foram contratados, assim, não disputarão vagas com os médicos brasileiros em outras localidades. Segundo o Ministério da Saúde, os médicos estrangeiros só atuarão na ATENÇÃO BÁSICA, por tempo determinado, com autorização especial e nas vagas não preenchidas por brasileiros. Todo profissional de outro país que vier trabalhar no Brasil passará por um teste de aptidão e, somente se aprovado, atenderá pacientes aqui. O edital da proposta foi apresentado ontem, no Ministério da Saúde, para prefeitos da FNP (Frente Nacional de Prefeitos). A matéria ainda será discutida com estados, está sendo estudada e deve ser apresentada nos próximos dias pela Presidente Dilma. Ontem, o Secretário Nacional de Saúde, Mozart Sales, disse que a medida irá beneficiar, em primeiro lugar, os 700 municípios mais carentes do Brasil. Quem contratará os médicos será o Ministério de Saúde e sua distribuição também será feita de acordo com critérios técnicos, priorizando os municípios mais necessitados.